Tudo sobre Alzheimer
Links

Aqui você fica sabendo sobre as novidades do universo do Alzheimer e outras demências. O objetivo é ajudar a prevenir, promover diagnóstico e tratamento adequados, cuidar do paciente e do cuidador, apoiar a família, atualizar profissionais das áreas médica e de saúde, conscientizar sobre demências, combater preconceitos e multiplicar conhecimento para vivermos mais e com qualidade de vida.

Receba novidades e atualizações!

Agir para transformar. Agir para construir um novo olhar sobre Alzheimer.

 

E queremos que você também faça parte do nosso movimento. Participando de grupos de apoio na sua cidade, ajudando a combater fake news, compartilhando boas notícias, engajando-se como voluntário sempre que puder, obtendo conhecimento e contando suas histórias e dicas aqui no Tudo sobre Alzheimer!

 

Sejam muito bem-vindos!

"As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem consulta, aconselhamento e acompanhamento de médicos, psicólogos, nutricionistas, gerontólogos e outros profissionais especialistas.”

© 2019 by Tudo sobre Alzheimer - Faz Muito Bem  |  Termos de Uso e Privacidade

CUIDADOS

O chamado Manejo Não Farmacológico é fundamental para promover qualidade de vida para o paciente com Doença de Alzheimer.

Há uma série de cuidados que podem ser adotados na prática do dia-a-dia.

 

Em geral, o cuidador (familiar ou profissional) é quem deve aprender as técnicas e as informações sobre a evolução da doença. Assim, ele estará melhor capacitado para exercer o cuidado.

Na fase inicial da Doença de Alzheimer o paciente pode necessitar de poucos cuidados. Quanto mais independência e autonomia tiver, melhor. 

Mas, com a evolução do quadro, a pessoa que exercer o papel de cuidador precisará cada vez mais ajudar. Até um momento em que o paciente necessitará de auxílio e assistência em tempo integral.

Portanto, essa tarefa é desafiadora e cansativa. Por isso, se o cuidador for familiar é fundamental que divida a tarefa com outros membros da família. E sempre que necessário recorrer a cuidadores profissionais.

Importante ter consciência de que terá de lidar com diversas alterações comportamentais. E que o paciente não sabe o que está fazendo. Nem está fazendo por querer. É essencial ter paciência, compreensão e também aprender a cuidar de si próprio. 

O tratamento não farmacológico não faz com que a pessoa com demência volte a funcionar como antes do diagnóstico. Mas, certamente, ajuda na autoestima do indivíduo e na sua funcionalidade. Pois quando estimulados corretamente, os pacientes tendem a ter mais iniciativa. 

Algumas dicas:

  • Aplique, sempre que possível, programas que estimulem as habilidades cognitivas como jogos, leituras e atividades lúdicas.

  • Mantenha a prática de atividade física e de fisioterapia que melhoram a coordenação, força muscular, equilíbrio e flexibilidade. 

  • Simplifique tudo o que for possível: uma pergunta por vez, poucos objetos na hora da refeição.

  • Se o paciente gostar de um tipo de roupa, ofereça várias semelhantes na hora de vesti-lo.

  • Sempre que possível implemente rotina para as atividades.

  • Desenvolva atividades que exercitem o cérebro.

  • Lembre-se de adequar a casa com medidas de suporte e segurança.

  • Importante manter o convívio social.