top of page

Setembro: Mês Mundial de Conscientização sobre Alzheimer... convite para o ano todo!


Importante que a gente reforce as ações no universo do Alzheimer e outras demências em Setembro (Mês Mundial de Conscientização) mas que perdure durante todos os meses do ano, todos os anos.


São muitos os desafios para o cuidado integral das pessoas que vivem com Alzheimer e outras demências, de suporte a quem cuida, de incentivo ao diagnóstico em tempo oportuno, da adoção de medidas protetoras e de tratamento adequado (medicamentoso e não farmacológico) para manter a autonomia e a qualidade de vida por mais tempo e o direito a uma vida digna.


Fundamental reconhecer que o Alzheimer pode bater à nossa porta, e que saibamos o quão importante é não abandonar o familiar, o vizinho, só porque tem uma demência. Conhecer mais, com sensibilidade, ajuda combater o estigma que tanto mal faz a quase 2 milhões de brasileiros que vivem a demência dentro de casa.


Acredito na soma de propósitos e esforços para: - multiplicar conhecimento em linguagem adequada, respeitando os limites de cada pessoa envolvida no processo; - ampliar o investimento em pesquisas que balizem políticas públicas que respeitem necessidades regionais; - qualificar de forma continuada profissionais da saúde para suspeitar, diagnosticar, tratar, reabilitar e apoiar pessoas no universo do Alzheimer; - conscientizar a sociedade sobre o tema, para que sejamos gentis e solidários.


As demências, com o acelerado envelhecimento populacional, devem ganhar um patamar de maior atenção da saúde pública.


Sonhamos assim o futuro que envolve integralidade do cuidado humanizado, intersetorialidade para ações mais efetivas, e investimento intergeracional, desde a infância. Pois, como diz o mestre e amigo – que admiro e com quem sempre aprendo, o neurologista Ricardo Nitrini: o investimento nos primeiros mil dias de vida de um indivíduo são fundamentais para a saúde do cérebro e prevenção das demências no futuro – junto com a adoção de medidas em relação aos 12 fatores de risco (estudo Elsi), com controle da hipertensão arterial, da perda auditiva, da baixa escolaridade, entre outros.


Feliz por fazer parte com tanta gente comprometida no universo da saúde mental.


É com alegria que estou envolvida há mais de 20 anos com o meu projeto educativo Tudo sobre Alzheimer; uma honra fazer parte do GRAz (Grupo de Referência em Alzheimer) que ajudou na Lei Alzheimer/SP e contribui em políticas públicas; participar da oficina e da estratégia de comunicação para o 1º Relatório Nacional sobre a Demência no Brasil; por ter parcerias com empresas e entidades que investem na educação; pela co-autoria do livro Direitos e Alzheimer.


Neste início de setembro minha gratidão especial pela oportunidade de fazer parte de tantos grupos de apoio a familiares, cuidadores e pessoas que vivem com demência, nos quais reside meu aprendizado mais intenso.


Comments


bottom of page