Tudo sobre Alzheimer
Links

Aqui você fica sabendo sobre as novidades do universo do Alzheimer e outras demências. O objetivo é ajudar a prevenir, promover diagnóstico e tratamento adequados, cuidar do paciente e do cuidador, apoiar a família, atualizar profissionais das áreas médica e de saúde, conscientizar sobre demências, combater preconceitos e multiplicar conhecimento para vivermos mais e com qualidade de vida.

Receba novidades e atualizações!

Agir para transformar. Agir para construir um novo olhar sobre Alzheimer.

 

E queremos que você também faça parte do nosso movimento. Participando de grupos de apoio na sua cidade, ajudando a combater fake news, compartilhando boas notícias, engajando-se como voluntário sempre que puder, obtendo conhecimento e contando suas histórias e dicas aqui no Tudo sobre Alzheimer!

 

Sejam muito bem-vindos!

"As informações e sugestões contidas neste site tem caráter meramente informativo. Elas não substituem consulta, aconselhamento e acompanhamento de médicos, psicólogos, nutricionistas, gerontólogos e outros profissionais especialistas.”

© 2019 by Tudo sobre Alzheimer - Faz Muito Bem  |  Termos de Uso e Privacidade

TRATAMENTO

Há duas abordagens para tratar o Alzheimer:

  • cuidados do manejo não farmacológico

  • e tratamento com medicamentos.

 

Nenhum ainda cura a doença, mas ajudam a retardar sua evolução e controlam sintomas e complicações comportamentais. 

O tratamento deve ser instalado o mais precocemente possível, o que contribui para a melhor qualidade de vida do paciente.

Abordagem medicamentosa:

Já se sabe que o neurotransmissor acetilcolina é o principal na função cognitiva. É aqui a principal ação dos agentes terapêuticos. 

O funcionamento neuronal colinérgico é um dos primeiros a se alterar na doença de Alzheimer.

A  abordagem  mais bem sucedida capaz de  melhorar esse funcionamento colinérgico nos pacientes com DA consiste em inibir a destruição da acetilcolina por meio da inibição da enzima acetilcolinesterase.

 

Inibidores da Acetilcolinesterase:

  • Donepezila

  • Galantamina

  • Rivastigmina

 

Todos já encontrados no Sistema Único de Saúde. E estão de acordo com os critérios do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT).

Apenas a Memantina que é um medicamento antagonista do receptor NMDA, utilizado como coadjuvante ao tratamento da Doença de Alzheimer como neuroprotetor ainda não está disponível no SUS.

Para ter acesso aos três medicamentos disponibilizados pelo SUS, os pacientes devem atender aos critérios de elegibilidade do PCDT e apresentar os seguintes documentos em um estabelecimento de saúde designado pelo gestor estadual:

I - cópia do Cartão Nacional de Saúde (CNS);

II - cópia de documento de identidade, cabendo ao responsável pelo recebimento da solicitação atestar a autenticidade de acordo com o documento original de identificação;

III - Laudo para Solicitação, Avaliação e Autorização de Medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (LME), adequadamente preenchido;

IV - prescrição médica devidamente preenchida;

V - documentos exigidos nos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas publicados na versão final pelo Ministério da Saúde, conforme a doença e o medicamento solicitado; e

VI - cópia do comprovante de residência.

 

 

Para tratar sintomas comportamentais que são, inclusive, os maiores responsáveis por institucionalização precoce do paciente com Alzheimer podem ser necessários outros tipos de medicamentos como antidepressivos, drogas antiepilépticas e neurolépticas. A prescrição é médica.

Sintomas comuns:

  • agitação psicomotora

  • delírios

  • ansiedade

  • depressão

  • desinibição

  • comportamento sexual aberrante

  • distúrbios do sono

  • perambulação etc

 

Importante:

O paciente e a família não devem, jamais, alterar dose, substituir medicamentos, parar de tomar, sem orientação médica. Qualquer efeito colateral e/ou dúvidas deve-se recorrer ao médico e sua equipe envolvida no tratamento.

Novo medicamento

aducanumab, funcionará?

Muita especulação na internet. Há controvérsias. Vale um esclarecimento!